segunda-feira, 18 de abril de 2016

Palazzo pants



Finalmente um Domingo de sol para a semana arrancar com outro sabor!

Já completamente em mood Primavera não resisti a estrear estas calças com uma t-shirt, sapatilhas e blusão de ganga.


As calças fluídas ou palazzo fazem há anos parte do meu guarda roupa: lisas, estampadas, mais curtas ou mais compridas, gosto da sensação de leveza e conforto que dão sem cair no desleixo ou se tornarem pouco adequadas para a forma como os nossos Domingos correm: a ida à Missa em família, o almoço em casa dos avós, a tarde na brincadeira...


E estas sapatilhas, que não passam mais de dois dias sem serem usadas, são neste momento as minhas mais fiéis companheiras para o dia-a-dia de todos os dias!


E agora vamos lá a mais uma semana que embora prometa ser de chuva já contou com um Domingo em grande para recarregar baterias!




terça-feira, 29 de março de 2016

De volta aos ténis


Quatro tendências que adoro todas juntas na mesma estação: riscas + lenço + ténis + comprimento midi


Saia midi + ténis - combinação improvável mas que fica tão bem para os dias de Primavera que estão a chegar. 

Perfeita para os dias em que os meus piratas não me dão tréguas e o sobe e desce escadas, corre e brinca é constante e puxa ao conforto máximo (pelo menos nos pés!) mas sem cair na combinação de sempre de jeans + ténis + sweat (ver também aqui e a mesma saia aqui).


Para além de 100% confortável, esta saia é super versátil e tem um pormenor que adoro: bolsos!


E com a chegada dos dias mais luminosos é impossível não terminar com pormenores que fazem toda a diferença: este lenço que já tem um bom par de anos mas que tem sido resgatado quase diariamente para servir as mais variadas funções (cabelo, cinto, pescoço...) e um bom batom vermelho para encher os meus babys de beijos coloridos!













quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

2 meses de Mimi


Esta semana faz dois meses que temos ao nosso lado a nossa miúda: querida Mimi, linda, gorducha e sorridente!

Foram dois meses bem cheios e intensos; se a vida muda quando temos o primeiro filho, o segundo vira-a de pernas para o ar! (a vantagem? vemos os dias de outra perspectiva!)

Tempo: deixou de existir como o conhecia antes - agora meço-o em intervalos de atividades (uma hora entre o banho do Jaime e o jantar, três horas entre cada refeição da Mimi, duas horas para aproveitar ao máximo quando faz uma sesta maior... zero horas de pausa quando estão os dois acordados e cheios de energia!)

Rotinas da manhã (banho, maquilhagem, escolher roupa...) - passaram a ser feitas em tempo record e muitas vezes em modo multitarefa. É um entra e sai dos quartos e da casa de banho, sobe e desce escadas, "agarra no Jaime para não fugir", "por a chupeta à Maria que acordou"... mas no fim, quando está tudo vestido e pronto para sair ainda se consegue roubar tempo para mimos e mais uma brincadeira!

Refeições - já tínhamos conseguido voltar a sentar-nos uma refeição inteira à mesa quando o Jaime começou a comer "de tudo" com um ano, agora voltamos à dança do senta-levanta, especialmente quando todos decidimos ter fome ao mesmo tempo!

Sono - (ou a grande falta dele...) nada que umas boas camadas de corretor de olheiras, base e iluminado não consigam resolver!

Crises - aquelas que toda a gente tem (um fica doente, ou cai, ou tem mimo, ou cólicas, ou tem uma noite péssima...) - passaram a ser menos "crises" e a ser mais "só uma noite (ou um dia!) má". 

Conclusão:

Não é verdade aquilo que dizem que "o difícil é o primeiro, o resto é fácil". 

A verdade é que depois do primeiro ficamos com uma perspetiva tãaaao diferente de tudo! 

E finalmente percebemos que: as cólicas não vão durar para sempre, eventualmente hão-de acabar por dormir bem, ou deixar de ter fome a cada duas horas... não vamos dar de mamar até termos cento e dez anos... vão deixar de cair tanto, e de tentar subir a todos os móveis que se atravessem no seu caminho... vão ficar mais seguros e mais independentes e por isso com menos "mimices"... vão começar a falar e por isso a dizer-nos o que têm ou onde dói e vamos deixar de andar às cegas a tentar descobrir... vamos voltar a caber numas calças 36 ou num vestido "daqueles"... as olheiras vão desaparecer e as noites vão voltar a ser momentos de calma e tranquilidade (será???) ...

E mais do que qualquer outra coisa, percebemos que num coração onde cabia um agora cabem dois (sem aperta ou cotoveladas!) e que uma vida mais virada de pernas para o ar é muito mais feliz do que tudo o que tínhamos conhecido até agora com os pés bem assentes no chão!


terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Lenços de amor


Não são lenços de amor mas talvez "amor de lenços"!

Já os usei (tanto!) quando era miúda, de todas as cores, formas e feitios. Lembro-me de um vermelho com cornucópias brancas e de um em tons azulados com ursinhos que eu simplesmente adorava!

Dos simples de algodão passei para os mais "à crescida" - era a minha avó que mos dava. Havia um em tons castanho com folhas creme, havia um verde água com riscas brancas, havia um com fios de todas as cores.

E depois o meu pai trouxe-me o meu primeiro em seda de um passeio que fez a Londres - azul e branco - ainda hoje o tenho e gosto tanto dele que com o medo de o estragar quase não o uso!


Mas voltando aos lenços - parece que estão de volta para aquecer o nosso pescoço e os nossos looks na próxima temporada.

Continuam a ter a mesma pinta que há uns anos atrás e, se bem escolhidos, continuam a tornar qualquer combinação básica de jeans e camisa numa imagem inesquecível.

E assim vão diretos para a lista de tendências a usar obrigatoriamente nos próximos tempos!





segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Pinheirinho, pinheirinho



Último dia junto à árvore de Natal antes de dizer um "adeus até para o ano".

Devagarinho começo a tirar as bolas e os laços e vou pensando em como esta árvore também já conta um bocadinho da nossa história: o dia em que a fomos comprar, casados há tão pouco tempo, os primeiros enfeites escolhidos a dedo (porque teriam que durar uma vida!), o primeiro Natal barriguda do Jaime, o segundo Natal com a Maria já junto de nós e a tentar que o Jaime não me deitasse a árvore abaixo tal era o entusiasmo com a música do "Pinheirinho, pinheirinho"...


E repete-se o ritual de todos os anos, primeiro as bolas vermelhas, depois as douradas e no fim os laços e a estrela.

O enfeite que o Jaime faz na creche tem sempre lugar especial, primeiro no pinheiro e depois numa daquelas caixinhas onde as mães guardam tudo aquilo que os filhos fazem com o coração a rebentar de orgulho. E este é já o segundo que vem para a nossa árvore, que assim conta também um  bocadinho da história dele!


Desfazer o pinheiro sabe-me sempre a recomeço: um novo ano, novas aventuras, a Primavera a espreitar timidamente ao longe, novas ideias para encher a sala e a casa de cor e luz!


E no fim, só mesmo no fim, o menino Jesus, que fez as alegrias do Jaime nestas festas, um bebé como a mana Mimi, tão pequenino mas que está aqui desde sempre a acompanhar a nossa história, a família a crescer e os anos a passar felizes por nós!









quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Ideias quentes


Sempre gostei de chapéus, dão-me a sensação de manter a cabeça e as ideias quentes!

E agora que este ano está a terminar para dar lugar a um novo há que acondicionar devidamente todos estes pensamentos que são balanços do que passou e metas para o que aí vem.


Foi um ano mais cheio do que alguma vez pude imaginar quando, há 365 dias, atrás fazia os meus planos para 2015. 

(E mais uma vez a voz do meu pai que é tantas vezes a voz da minha razão e que sempre me diz "Não faças muitos planos!")

Foi um ano onde há muito mais para agradecer do que para esquecer e isso é muito mais do que eu posso pedir!


Para 2016 uma lista de metas: pessoais, físicas, familiares, espirituais, de trabalho, de amizade, do coração...

Uma lista grande mas com pouca coisa de cada vez porque a luta em pequenas coisas dá normalmente muito mais frutos do que grandes batalhas contra o vento.


E um coração agradecido, pelo que passou e por tudo o que aí vem, com vontade de virar mais um ano, de ver os meus bebés crescer, de marcar etapas na nossa vida a dois, de trabalhar e passear e acima de tudo de ser feliz!







terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Eu e ele


A mana finalmente adormeceu e agora o tempo é todo dele!

Esconder atrás das cortinas, correr pela sala fora, montar Legos e fazer desenhos é o que mais nos enche nas horas de brincadeira, enquanto deixamos os carros, as pistas, os aviões e outras coisas que tal para o Pai.


Numa sala onde a desarrumação reina ao fim de dois segundos de brincadeira é imprescindível estar 100% confortável para gatinhar, cruzar as pernas à chinês, correr e evitar os milhentos obstáculos que se vão espalhando pelo chão - carrinhos, peças de puzzles, livros, tampas de caneta... - skinny jeans e botins são a "farda" de quase todos os dias (e estes botins são perfeitos para o Inverno pois para além de serem super confortáveis são impermeáveis o que os torna a companhia ideal para as saídas à chuva!)


E enquanto ainda não se cabe nas roupas mais "S" de pré-mamã as túnicas são o aliado perfeito para compor o conjunto final. 

Esta, adoro-a especialmente não só pela cor (já aqui tinha falado dela!) mas também pelos pormenores em tom de amarelo/ dourado que lhe dão um toque ainda mais quente, perfeito para esta altura do ano.


São horas cheias e alegres, estas em que voltamos a ser só os dois... mas quando a Mimi acorda, apesar de todo o rebuliço, a vida é muito mais feliz!