segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Pinheirinho, pinheirinho



Último dia junto à árvore de Natal antes de dizer um "adeus até para o ano".

Devagarinho começo a tirar as bolas e os laços e vou pensando em como esta árvore também já conta um bocadinho da nossa história: o dia em que a fomos comprar, casados há tão pouco tempo, os primeiros enfeites escolhidos a dedo (porque teriam que durar uma vida!), o primeiro Natal barriguda do Jaime, o segundo Natal com a Maria já junto de nós e a tentar que o Jaime não me deitasse a árvore abaixo tal era o entusiasmo com a música do "Pinheirinho, pinheirinho"...


E repete-se o ritual de todos os anos, primeiro as bolas vermelhas, depois as douradas e no fim os laços e a estrela.

O enfeite que o Jaime faz na creche tem sempre lugar especial, primeiro no pinheiro e depois numa daquelas caixinhas onde as mães guardam tudo aquilo que os filhos fazem com o coração a rebentar de orgulho. E este é já o segundo que vem para a nossa árvore, que assim conta também um  bocadinho da história dele!


Desfazer o pinheiro sabe-me sempre a recomeço: um novo ano, novas aventuras, a Primavera a espreitar timidamente ao longe, novas ideias para encher a sala e a casa de cor e luz!


E no fim, só mesmo no fim, o menino Jesus, que fez as alegrias do Jaime nestas festas, um bebé como a mana Mimi, tão pequenino mas que está aqui desde sempre a acompanhar a nossa história, a família a crescer e os anos a passar felizes por nós!









1 comentário:

  1. Olá Teresa! Bom ano!
    Eu adoro ter a casa enfeitada com a decoração de Natal e por isso vou deixando... deixando... No ano passado foi o primeiro ano de casada e só guardei a árvore e o presépio em Fevereiro :)
    A sala fica tão cosy com as luzinhas !!

    Beijinhos para todos

    ResponderEliminar